A crise

O mundo empresarial vive um momento de pós crise onde as oportunidades começam a retornar, apesar da reação ainda letárgica da economia. Mas o que se aproveitou deste período de crise, principalmente daqueles que sobreviveram a ela?

Aqueles que sobreviveram e para aqueles que perderam seus negócios (mas que conseguiram perceber a oportunidade de obtenção de conhecimento, apesar de tardiamente), chegaram a uma conclusão: com um processo de controle de resultados, de relatórios que pudessem extrair as informações necessárias para uma boa tomada de decisão, teriam passado pela crise com muito menos dificuldades ou mesmo a ponto de não terem perdido seus negócios.

Controladoria: uma prática repleta de benefícios

Mas o que consiste neste controle, nestas informações para gerar uma boa tomada de decisão? Simplesmente controladoria, a capacidade que a empresa tem em controlar seus recursos, seus custos e seus resultados por meio de uma série de relatórios, métodos e ferramentas capazes de tirar o empresário do desconhecimento de informações para a luz da controladoria.

E como podemos chegar a este nível de maturidade em controladoria? Tenha em mente que as informações estão ali na sua empresa. É necessário coletá-las de uma maneira estruturada para que você consiga classificá-las e gerar os relatórios necessários. Um fluxo de caixa bem controlado já é um começo, porém não é de fato o suficiente para você tomar todas as decisões. É muito importante que, em conjunto com o fluxo de caixa, você tenha a demonstração dos resultados (pelo regime de competência!) para analisar o real ganho econômico que perfaz sua empresa a cada mês. Esses são os primeiros pontos para que você possa entender os reflexos de competência e caixa do seu negócio.

Entenda o comportamento dos seus custos. Como a dinâmica dos custos sob a ótica da cadeia de valor se desenvolve ao longo do crescimento das vendas e produção. Este é o segundo passo importante no processo de controladoria: saber projetar a empresa para novos patamares de faturamento para identificar os resultados esperados. Este processo te auxiliará na identificação das margens de contribuição e do processo de precificação. Saber o quanto trará de recurso cada unidade extra vendida é fundamental para estabelecer novos patamares de mercado, capacidade de identificar vantagens competitivas que possam trazer o empresário para um mundo mais controlado do ponto de vista da assertividade das suas decisões.

Você gostaria de vender sua empresa ou atrair um novo sócio? Leia mais aqui

Mas por onde eu começo?

Diagnostique sua situação. O diagnóstico econômico financeiro é o primeiro passo para entender em que nível de maturidade em controladoria sua empresa se encontra. Identifique o nível de qualidade do seu fluxo de caixa, DRE, e necessidade de capital de giro. Como se encontra seu processo de classificação dos custos, relatórios de margem de contribuição por produto e por unidade de negócio e outros itens que se fazem necessários para definir os pontos de melhoria. O processo de diagnóstico permitirá o desenvolvimento das ações necessárias para geração de informações que de fato possam trazer conhecimento à luz do seu negócio, tornando mais competitivo e consolidado no seu segmento de atuação.

E lembre-se o que os olhos não veem o bolso sente!

Este post foi escrito pelo professor Fabrizio Mezzari.