4 razões para você fazer a “Valuation”

Veremos a seguir os quatro motivos que demandam a realização de uma avaliação do valor de uma empresa de capital fechado, também denominado de “Valuation”. De acordo com o professor Damodaran estes motivos seriam:

1 – Para vender para uma empresa de capital aberto

Nos últimos cinco anos os negócios envolvendo fusões e aquisições (F&A) de empresas no Brasil, movimentaram bilhões de dólares, correspondendo a 818 negócios concluídos em 2014, segundo a pesquisa da KPMG, maior especialista em F&A. Apesar do momento econômico não favorável, o primeiro semestre de 2015 alcançou o terceiro maior resultado de F&A, desde que a pesquisa foi criada em 1994,com 401 negócios.

Esta estratégia de expansão de negócios demonstra uma tendência que ainda não emite sinais de arrefecimento, estimulando novas fusões e aquisições nos próximos anos.

2 – Para receber aporte de fundos de capital de risco (VC)

A maioria das empresas inovadoras começam sua história a partir de um “financiamento” pequeno, geralmente obtido junto a familiares e amigos. Quando esta empresa começa a deslanchar, ela vai precisar de novos investimentos se desejar aproveitar a curva de crescimento. É neste ponto que os fundos de capital de risco costumam aportar recursos, para dar um impulso “profissional” na gestão da empresa e prepara-la para começar a dar lucro.

3 – Para abrir o capital

Quando a empresa inovadora deixa de ser uma empresa de alto risco e passa a alvejar um mercado mais amplo, surge a oportunidade de captar novos “sócios” no mercado acionário, que estejam interessados em uma taxa de retorno mais atrativa que a média do mercado ou do setor de atuação da empresa que deseja abrir o capital.

4 – Para vender para outro empresário ou empresa de capital fechado

No Brasil existem muitas empresas familiares que em algum momento optam por crescer por meio de Fusões e Aquisições.

Dos quatro motivos apresentados, o último motivo apresenta alguns problemas para o processo de avaliação:

O primeiro problema é em relação ao fato de nenhum dos dois ser um investidor diversificado, exigindo um ajuste na metodologia do cálculo do custo de capital próprio. Outro problema comum é relativo ao empreendedor ou fundador da empresa, que geralmente possui um impacto significativo no potencial do negócio gerar receitas. Neste caso, seria oportuno conceder um desconto, caso o empreendedor venha a deixar a empresa. Por fim, uma empresa de capital fechado é um investimento com baixa liquidez se for comparado a uma empresa de capital aberto.

Ficaremos gratos com seus comentários, com críticas, perguntas e sugestões.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *