4 razões para você fazer a “Valuation”

Segundo o Sebrae “Valuation é um termo de origem inglesa que significa, adaptado ao português, avaliação de empresas. Ao trabalhar com as percepções que a empresa possui dos investidores e clientes, o Valuation envolve o julgamento da posição que ocupa no mercado e a previsão do retorno de investimento nas ações da empresa.

Uma empresa pode ser avaliada em diversas ocasiões e por diferentes motivos: para fins contábeis, depois da realização de uma transação ou aquisição, além de processos judiciais, por exemplo, nos quais os bens precisam ser divididos.

Os responsáveis pela valuation analisam os vários componentes da empresa em questão e estimam o valor monetário dos seus ativos intangíveis, a exemplo da própria marca, do relacionamento com o cliente ou da tecnologia da empresa.”

Veremos a seguir os quatro motivos que demandam a realização de uma avaliação do valor de uma empresa de capital fechado, também denominado de “Valuation”. De acordo com o professor Damodaran estes motivos seriam:

  1. Para vender para uma empresa de capital aberto
  2. Para receber aporte de fundos de capital de risco (VC)
  3. Para abrir o capital
  4. Para vender para outro empresário ou empresa de capital fechado

Veja agora cada uma das razões.

1 – Para vender para uma empresa de capital aberto

Nos últimos cinco anos os negócios envolvendo fusões e aquisições (F&A) de empresas no Brasil, movimentaram bilhões de dólares, correspondendo a 818 negócios concluídos em 2014, segundo a pesquisa da KPMG, maior especialista em F&A. Apesar do momento econômico não favorável, o primeiro semestre de 2015 alcançou o terceiro maior resultado de F&A, desde que a pesquisa foi criada em 1994,com 401 negócios.

Esta estratégia de expansão de negócios demonstra uma tendência que ainda não emite sinais de arrefecimento, estimulando novas fusões e aquisições nos próximos anos.

2 – Para receber aporte de fundos de capital de risco (VC)

A maioria das empresas inovadoras começam sua história a partir de um “financiamento” pequeno, geralmente obtido junto a familiares e amigos. Quando esta empresa começa a deslanchar, ela vai precisar de novos investimentos se desejar aproveitar a curva de crescimento. É neste ponto que os fundos de capital de risco costumam aportar recursos, para dar um impulso “profissional” na gestão da empresa e prepara-la para começar a dar lucro.

3 – Para abrir o capital

Quando a empresa inovadora deixa de ser uma empresa de alto risco e passa a alvejar um mercado mais amplo, surge a oportunidade de captar novos “sócios” no mercado acionário, que estejam interessados em uma taxa de retorno mais atrativa que a média do mercado ou do setor de atuação da empresa que deseja abrir o capital.

4 – Para vender para outro empresário ou empresa de capital fechado

No Brasil existem muitas empresas familiares que em algum momento optam por crescer por meio de Fusões e Aquisições.

Dos quatro motivos apresentados, o último motivo apresenta alguns problemas para o processo de avaliação:

O primeiro problema é em relação ao fato de nenhum dos dois ser um investidor diversificado, exigindo um ajuste na metodologia do cálculo do custo de capital próprio. Outro problema comum é relativo ao empreendedor ou fundador da empresa, que geralmente possui um impacto significativo no potencial do negócio gerar receitas. Neste caso, seria oportuno conceder um desconto, caso o empreendedor venha a deixar a empresa. Por fim, uma empresa de capital fechado é um investimento com baixa liquidez se for comparado a uma empresa de capital aberto.

Leia mais: Como posicionar sua marca

Ficaremos gratos com seus comentários, com críticas, perguntas e sugestões.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *